este não é o meu lar

Perdi a conta das vezes que olhei pela janela e quis ver mar, na vez de montanhas cobertas de neve. Das vezes que me deitei na cama, fechei os olhos e imaginei que estava no meu quarto, na minha casa, com as minhas coisas. Mas, quando abria os olhos, acordava para a realidade. Esta não era a minha casa, não era o meu país. E chorava. Chorava de saudades da minha família. De saudades do meu amor. Chorava? Não... choro, ainda choro. Passou mais de um ano. Mas, pela janela continuo a ver montanhas. Céu cinzento. Temperaturas negativas. A mesma paisagem. O mesmo emprego. A mesma escola. As mesmas pessoas de sempre. As mesmas putas. Os mesmos meninos que pensam ser homens. As mesmas discussões com as mesmas pessoas. O mesmo rapaz que tatoou o meu nome no peito depois de uma noite bem passada. Nada mudou. Passa mais um dia e os meus olhos vêm mais do mesmo. Estou farta da monotonia que me acompanha.